Automação alcança novos níveis que engrandecem a área

Automação é o processo ligado a sistemas de funcionamento automático, ou seja, equipamentos que não necessitam da ação humana para desenvolver atividades.

Esses mecanismos trabalham sozinhos, comandando e controlando os procedimentos de performance de seu próprio trabalho.

Esse procedimento que está diretamente transcrito no seu nome de origem latina tem o significado de fazer por si mesmo, mas lembrando que esse sistema automático está muito ligado às máquinas.

A automação industrial

Já a automação industrial tem o seu aparecimento muito ligado ao desenvolvimento e consolidação da eletrônica, otimizando processos de produção como nunca antes visto, maximizando as ações dentro da indústria, reduzindo custos e desperdícios de recursos energéticos e materiais.

Além de garantir uma segurança ainda maior, reduzindo as chances de acidentes devido a erros humanos. Essa evolução nos chãos da fábrica levou à redução de custos e democratização também dos bens produzidos na indústria.

A automação começa a ser trabalhada a partir de sensores e componentes eletronicos, permitindo que o trabalho seja feito inteiramente pelas máquinas.

Hoje, com a ascensão dos sistemas de informação, a automação alcança novos níveis que engrandecem a área e mostram possibilidades de um futuro da indústria como um todo.

Como funciona a automação na indústria?

Empresas de automação industrial são responsáveis pela modernização e adequação dos sistemas de produção das indústrias. Alguns objetivos da automação industrial podem ser descritos como:

  • Melhorar as condições de trabalho;
  • Otimizar os recursos;
  • Aumentar a produtividade;
  • Ampliar possibilidades de fabricação.

A segurança no trabalho, a partir de processos automáticos, aumenta significativamente o bem-estar dos empregados, diminuindo as chances e os riscos de acidentes na indústria.

A otimização de recursos e aumento da produtividade são impactos diretos da maximização do trabalho realizado por máquinas automáticas dedicadas somente a esse serviço.

Isso amplia possibilidades de fabricação que a mente e o esforço humano não seriam capazes de produzir e colocar em prática.

Esses processos acontecem na indústria a partir de três níveis: Campo – equipamentos controlados para ação e de detecção; Controle – são os que vão controlar outros equipamentos; Supervisão – como o próprio nome já diz, é nesse nível que acontece a intenção do homem com a máquina e de onde se retiram os dados de todo o processo.

Exemplos de Indústrias automatizadas

Alguns setores industriais já usam componentes automáticos há muito tempo. Como é o caso da indústria automobilística que no chão de sua fábrica utiliza maquina de solda, processos de pintura e de estamparia que vão modelar chapas de aço ao formato do automóvel desejado.

São processos como a solda, que traz riscos diretos à saúde humana, que quando executados por máquinas diminuem as chances de acidentes na indústria.

Ou ainda a indústria de papel que faz o corte e descascamento da madeira automatizados, garantindo a segurança do trabalhador e ainda otimiza a utilização de recursos, maximizando o processo e a produtividade, diminuindo o desperdício de energia e matéria-prima, um avanço significativo ao pensar as necessidades ambientais no século XXI.

Mecanização x Automação

Para entender mais profundamente a automação, é preciso explicar a diferença entre mecanização e automação.

Os processos mecanizados visam apenas substituir o esforço físico humano, enquanto a automação está completamente ligada à autonomia dos autômatos ou máquinas.

Sem a necessidade de ação do homem para o seu trabalho ser realizado, em outras palavras, a inteligência requerida no processo automática parte, também, da máquina.

A inteligência artificial é o que vai diferenciar a mecanização da automação. Quando o comando parte do homem e o equipamento apenas obedece, é uma mecanização do processo, diminuindo o esforço físico do homem.

Porém quando um processo utiliza uma empacotadeira automática, por exemplo, essa máquina vai avaliar como proceder e agir a partir do momento que o material chegar ao seu campo de ação.

Sensores vão descobrir o que está acontecendo naquele momento e enviar informações para a empacotadeira que a partir daí vai tomar decisões de funcionamento sem depender de comandos humanos.

São os sensores industriais que detectam, avisam e informam quanto ao estado atual do processo, fornecendo informações ao maquinário automático que aí então vai decidir quais ações tomar e próximos passos.

Todos esses processos acontecem constantemente a velocidades muito grandes, o que levanta e reforça a ideia de que, com essa modalidade de processamento, a indústria ganha otimizando seus recursos, maximizando seu trabalho, aumentando sua produtividade e ainda protegendo seu trabalhador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *