Curiosidades sobre segurança e aço no universo industrial

A falta de medidas de segurança do trabalho ainda é um problema sério para a economia brasileira.

Entre 2012 e 2016, os acidentes laborais custaram R$ 20 bilhões aos cofres da Previdência Social, graças aos benefícios pagos a indivíduos impossibilitados de trabalhar, temporária ou permanentemente.

O quadro é tão preocupante que estima-se que aconteça um incidente do tipo a cada 47 segundos no Brasil.

Na indústria, o cuidado com a segurança deve ser redobrado. Isto porque as pessoas que trabalham neste setor comumente lidam com fatores de risco, tais como:

  • Maquinário pesado;
  • Metais fundidos;
  • Substâncias corrosivas;
  • Circuitos elétricos;
  • Trabalho em altura.

Por conta disso, rotinas de trabalho, como a calibração de válvulas de segurança, devem ser feitas por profissionais treinados, e que disponham de todos os equipamentos de proteção necessários.

O que nem todos sabem é que a manipulação de aço também exige algumas medidas de segurança específicas para que não haja acidentes. Confira.

A importância do aço na indústria

O aço é um elemento tão importante para a economia brasileira que ganhou até uma data comemorativa: no dia 9 de abril, celebra-se o Dia Nacional do Aço.

Esta homenagem não é à toa. Este metal é usado na fabricação de uma série de objetos muito usados no cotidiano, tais como:

  • Válvulas diversas;
  • Automóveis;
  • Edificações;
  • Instrumentos hospitalares;
  • Utensílios de cozinha.

Da mesma maneira, o aço se destaca por ser um elemento completamente reciclável. Deste modo, quando um objeto feito com ele esgota a sua vida útil, ele pode ser fundido e reutilizado com outro objetivo, reduzindo o impacto ambiental causado pela produção de peças novas.

Como manipular o aço com segurança?

Algumas medidas simples fazem com que a manipulação do aço seja segura, e que as chances de acidentes sejam baixas. Veja só:

Seguir normas de segurança de trabalho é fundamental

A NR-4, editada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, é um dos primeiros documentos a se observar quando o assunto é segurança laboral na indústria.

Ela estabelece o quantitativo de profissionais da área que são necessários conforme o grau de risco da cada estabelecimento.

Via de regra, quanto mais arriscada a atividade, mais técnicos, engenheiros e médicos da área serão necessários para assessorar a empresa.

Estes profissionais, por sua vez, conhecem a demais normas reguladoras da área e podem orientar os operários a respeito das normas de segurança a serem seguidas, inclusive no caso de manipulação do aço.

É preciso seguir as normas reguladoras

Empregados que trabalham na área de eletricidade precisam investir em uma reciclagem nr10 periodicamente.

O motivo é que esta norma fixa algumas regras para garantir a segurança dos indivíduos que trabalham em instalações elétricas, e não pode ser esquecida.

Do mesmo modo, há alguns documentos específicos para operários que trabalham com metais.

Uma delas é a NR-18, que, apesar de discorrer a respeito do trabalho na construção civil, dá algumas instruções a respeito do trabalho com aço, devido ao fato de este material ser muito usado no setor.

Também há normas a respeito da fundição, especificamente. É imprescindível lê-las e colocá-las em prática em procedimentos como a fundição para a fabricação da chapa de ferro, alumínio, aço, etc.
São elas:

  • NBR 16350;
  • NBR 16351;
  • NBR 16352;
  • NBR 16353;
  • NBR 16354;
  • NBR 16355;
  • NBR 16356;

O corte e a dobra exigem precauções especiais

As chapas de aço são materiais versáteis. A construção civil é um dos principais setores que as utiliza, empregando-as nos mais diversos projetos.

Uma de suas principais vantagens é a possibilidade de utilizar processos de corte e dobra de aço para fazê-lo assumir outros formatos, e, consequentemente, funções.

É possível realizá-los automático ou manualmente. Neste último caso, é preciso tomar algumas precauções para evitar acidentes.

Antes de tudo, a bancada para a manipulação do material deve estar afastada do trânsito mais intenso de trabalhadores.

Também é indicado que ela tenha entre 75 e 80 centímetros de altura, de modo a favorecer a ergonomia.

Além disso, é imprescindível que o operário só trabalhe munido dos equipamentos de segurança fundamentais. São eles:

  • Óculos de segurança;
  • Avental específico;
  • Luva;
  • Máscara de poeira;
  • Protetor facial abafador de ruído;
  • Botas de segurança.

Por fim, é preciso contar com um apoio para fixar a chapa, de modo que ela não escape ao ser moldada. Do contrário, o trabalhador pode ficar seriamente ferido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *