O uso da radiação na indústria

Ao falar de radiação, muitas pessoas crescem os olhos e já pensam nos perigos que ela traz. No entanto, apesar do imaginário voltar sobre as questões que envolvem o perigo, existem inúmeras áreas em que o poder da radiação e as técnicas nucleares são usadas em benefício da humanidade, de modo responsável e eficiente.

Nesse contexto, a radiação ionizante, que é a energia para ionizar átomos e moléculas, isto é, arrancar um elétron de um átomo, foi responsável por diversos avanços tecnológicos, que permitiu o progresso da civilização e o desenvolvimento de máquinas e equipamentos diversos.

Vale ressaltar que a radiação também ocorre naturalmente, como é o caso da decomposição de substâncias radioativas naturais (gás radônio).

O conhecido raio X, por exemplo, foi um dos avanços tecnológicos da medicina mais importantes, pois permitiu o mapeamento de várias partes do corpo, para um diagnóstico preciso e, até mesmo, para a prevenção de enfermidades.

Mas, além da saúde, muitos outros setores podem ser beneficiados, como é o caso da indústria, que faz uso do raio X industrial.

A radiação e o seu uso na indústria

A chamada “Radiologia Industrial” tem aplicações em Ensaios Não Destrutivos (END), que são realizados como métodos de controle de qualidade em fábricas de automóveis, siderúrgicas, petrolíferas, inspeção de armamentos, tanques e navios.

Portanto, é um segmento extremamente importante para aferir as condições desses bens, evitando quaisquer ocorrências negativas.

Ou seja, por meio do uso dos raios-X industriais é possível saber a qualidade de um simples parafuso sextavado, até a complexidade de funcionamento de um microscopio optico, dependendo da finalidade de cada análise.

Inspeções de segurança também estão inclusas em um ramo da Radiologia Industrial, que prevê a visualização de bagagens em aeroportos, rodovias e portos, ou em eventos e locais onde é necessário aumentar a segurança.

Esse procedimento é feito por meio de scanners de imagens, que também funcionam de maneira similar aos raios-X.

Como medir a quantidade de radiação

O uso da radiação nos mais diversos setores da sociedade tornou muitos trabalhos mais fáceis e eficientes.

Sendo assim, não há como negar os benefícios da radiação – seja para a medicina, para indústria, ou para o comércio. No entanto, tudo que é em excesso não faz bem e o mesmo vale para a radiação.

Locais que operam com equipamentos de raio X, bem como indústrias que ionizam átomos, devem ficar atentos aos níveis de radiação presentes em uma determinada área. Mas, como se prevenir do excesso dessa energia?

A resposta está no equipamento chamado detector de radiação. Por meio desse aparelho, é possível identificar a presença de radiação, seja ela de qualquer tipo (alfa, beta ou gama), dentro de um espaço. Assim, pode-se localizar os “bolsões de radiação”, a concentração de energia e os níveis aceitáveis ou prejudiciais à saúde humana.

Há vários tipos de detectores de radiação, entre eles:

  • O dispositivo por emulsão fotográfica;
  • A caneta dosimétrica;
  • A câmara de ionização;
  • O contador proporcional;
  • O contador Geiser-Muller;
  • A dosimetria termoluminescente;
  • O detector de cintilação.

Em casos em que a radiação está acima dos níveis aceitáveis, é necessário montar uma estrutura de contenção.

Geralmente feita em chumbo, com chumbadores e outros componentes para vedação, esse local pode ser usado para abrigar materiais radioativos tóxicos aos humanos, evitando, assim, o alastramento da energia.

É importante que todas as peças tenham qualidade e resistência, para não vazar radiação para o ambiente externo. Por esse motivo, recomenda-se que esses chumbadores e componentes sejam desenvolvidos por uma fabricante de chumbadores especializada, que tenha conhecimento, compromisso e garantia de todos os seus produtos.

Mas, afinal, a radiação é boa ou ruim?

Diante de todos os aspectos ressaltados, a radiação aparece como uma descoberta benéfica para o ser humano. No entanto, é preciso adotar medidas de prevenção e proteção, quando necessário, para evitar quaisquer problemas decorrentes do uso dessa energia.

De maneira geral, a radiação tem seus riscos, mas também tem muitos pontos positivos, fazendo com que as suas vantagens sejam exaltadas.

Em muitos casos, como é o caso da área médica, o tratamento com radiação é considerado menos invasivo do que cirurgias exploratórias, por exemplo. Quer dizer que, com o uso correto e responsável, a radiação pode ser muito aproveitada pelos mais diversos setores e em benefício da humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *