Higiene industrial e preocupações com a qualidade do ar interno

A higiene industrial, em termos simples, é o desempenho e manutenção de limpeza de um ou mais setores. É um tema abrangente, que inclui a Análise da qualidade do ar interior.

Como a qualidade do ar pode ser comprometida

A qualidade do ar pode ser comprometida em todos os lugares — em todos os tipos de empresas. Talvez as indústrias mais propensas a isso sejam aquelas relacionadas à produção de bens.

A quantidade de poeira e fumaça gerada durante o processo de fabricação resulta na liberação de impurezas no local de trabalho.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou os resíduos e vapores transportados por via aérea no local de trabalho como um problema vital para a saúde global devido à sua associação com doenças generalizadas.

Por isso, todas as indústrias são obrigadas a cumprir com os padrões do ar limpo do governo.

Mas, em alguns casos, os empresários desejam ir além do que é exigido pelo governo federal e garantir que seus trabalhadores estejam completamente protegidos contra toxinas, a fim de eliminar riscos à saúde e melhorar a produtividade, assim como eliminar a poluição atmosférica.

É aqui que a higiene industrial se torna um foco necessário como uma ciência dedicada à antecipação, reconhecimento, avaliação e controle dos fatores ambientais ou problemas diversos que surgem no local de trabalho, que podem causar doenças, complicações de saúde e bem-estar, ou desconforto significativo entre os trabalhadores.

As indústrias com maior probabilidade de gerar poeira excessiva incluem:

  • Qualquer trabalho que quebre ou esmague material sólido;
  • Fundições;
  • Trabalhos de jateamento;
  • Fabricação de vidro e cerâmica;
  • Uso de produtos químicos em indústrias químicas, de pesticidas, farmacêuticas e de borracha;
  • Plantas de processamento de alimentos.

Além de poeira e partículas, fumaça e névoas ameaçam a segurança no local de trabalho. Trabalhos específicos de fabricação que têm uma alta incidência de exposição ocupacional a vapores químicos incluem os das indústrias de tintas, soldagem, borracha e farmacêutica.

E não é apenas a saúde da força de trabalho que pode sofrer. Quando a qualidade do ar interior é fraca, a produção também pode ser prejudicada.

Conscientização e eliminação de poluentes

Muitas vezes, os empresários estão cientes dos riscos de exposição enfrentados por seus funcionários e tomam medidas para remediar.

Mas quando não está claro quais são os perigos ambientais, eles podem contratar higienistas industriais para analisar, identificar e medir os riscos ocupacionais que podem causar problemas de saúde em seus trabalhadores.

Os higienistas usam métodos de monitoramento ambiental e analítico, dentro de uma Estrutura Metálica para Galpão, para detectar a extensão da exposição do trabalhador.

As seguintes substancias podem ocasionar riscos ocupacionais:

  • Aerossóis;
  • Partículas transportadas pelo ar;
  • Asbesto;
  • Combustíveis;
  • Poeira;
  • Gases;
  • Resíduos perigosos;
  • Chumbo;
  • Nanotecnologia;
  • Pesticidas;
  • Sílica;
  • Solventes.

Um higienista industrial profissional medirá a qualidade do ar em duas áreas principais: a zona de respiração de um trabalhador e o ar ambiente em uma determinada área física. A abordagem resultante para melhorar a qualidade do ar é de três níveis:

  1. Eliminar ou reduzir partículas e vapores por meio de Lavador de gases industriais;
  2. Extrair partículas de fumaça por meio de sistemas de captura e ventilação;
  3. Filtrar partículas e vapores de dentro e depois descarregar para fora.

A OMS apoia esse padrão de prática, citando que a melhor maneira de melhorar o ambiente industrial é por meio da eliminação na fonte, contenção e ventilação, por meio de coifa industrial.

Os esquemas de avaliação de risco são cruciais para avaliar o sucesso dos programas de prevenção da poluição. Por exemplo, é possível aplicá-los sem referência a avaliações de risco, análise de risco e (com reservas) sem referência à análise de custo-benefício.

Uma abordagem anterior à poluição era primeiro fazer uma avaliação de risco e só então decidir que tipo de ação, e quanto, era necessário para reduzir o risco a um nível “aceitável”.

Os resultados raramente foram drásticos. A avaliação de risco, por outro lado, pode ser utilizada muito rapidamente e de forma a não atrasar ou comprometer a eficácia de um programa de prevenção da poluição.

A prevenção da poluição é, acima de tudo, um programa pragmático capaz de lidar constantemente com questões de poluição à medida que elas surgem e antes de surgirem.

Por fim, não deixe que a má higiene industrial seja um revés para o seu negócio. É preciso utilizar produtos e equipamentos para eliminar, extrair e filtrar poeiras e vapores perigosos, removendo as impurezas do ar do seu local de trabalho e mantendo seus trabalhadores seguros. Pense nisso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *